Make your own free website on Tripod.com

HQ & Cia. - Capa Metal Hurlant 


HQ & Cia.
Metal Hurlant
Arquivos
Heavy Metal
Heavy Metal Movie

O Lançamento da MetalNave

184.jpg (28350 bytes)As naves espirituais da longa viagem que Dionnet, Druillet e Moebius causariam uma revolução interna que sacudiu até as esferas mais importantes nos quadrinhos franceses após maio de 1968. O trio que comporia a tribo inicial dos Humanóides em um futuro próximo viveu a revolução de eventos da revista Pilote. Duas semanas sem esta publicação aparecer no mercado devido a uma greve de artes gráficas; uma grade de diversos autores contra a direção pelo criador do semanário, René Goscinny; a demissão do inventor de Asterix e seu novo cargo de líder da revista, apoiado agora pela polêmica de seus antecessores; o medo, não obstante, da editora frente ao aumento dos conteúdos políticos e eróticos; as rupturas sucessivas com alguns dos colaboradores principais. Como conseqüência de não querer submeter-se às normas internas de censura implantada pela diretoria da revista, Claire Brétécher, Gotlib e Mandryka fundaram uma publicação de quadrinhos nova, L´Echo des Savanes, em 1972, ao mesmo tempo que alguns sócios distantes do Hara-Kiri abandonavam sua meia dúzia de anos de trabalho para Pilote e retomavam a sua antiga missão. Dois anos depois, abalaram tanto as fundações de L'Echo des Savanes que nascia outra revista, Mormoil; se preparava a Fluide Glacial que Gotlib colocaria em marcha durante 1975, e se produzia a divisão entre Mandryka (a quem havia ocorrido o nome de Metal Hurlant para uma nova publicação) e Jean-Pierre Dionnet; desta ruptura pessoal que não ultrapassaria um breve período de tempo, consolidaria-se a união de Dionnet com Druillet e Moebius, união batizada com uma denominação proposta por este último, Les Humanoides Associés, e originou a fundação de um editorial que lançou uma revista de quadrinhos e álbuns de narrativa desenhada. Etienne Robial projetou o logotipo da revista Metal Hurlant, criada como trimestral de 1974 para 1975...

wpe34937.gif (513746 bytes)

Philip Druillet.

O primeiro objetivo da revista residiu na exploração vanguardista do gênero de ficção científica, revelava o editorial do número um. Assim o manifestou Arzach, a série de Moebius e Den, trabalho encomendado a Richard Corben, ambas impressas em cores. Druillet ostentava no terceiro número nunca ter lido Proust, Chateaubriand, Aristóteles, Gide, Voltaire, Mauriac e proclama a devoção por um outro lado com Philip K. Dick, Theodore Sturgeon, Alfred Bester e outros escritores de temático fantástico. O editorial de Moebius no quarto número sustentando "não haver nenhuma razão para que uma história seja como uma casa com uma porta de entrada, janelas para contemplar as árvores e uma chaminé para a fumaça..." e reivindicou a possibilidade para "imaginar uma história em forma de elefante, de campo de trigo, ou do chamado de uma cera de ouvido doentia". Então, aos pais fundadores haviam começado se juntar outras personalidades, os mesmos do começo da publicação e a revista nasceu por causa de sua própria evolução com a presença de Mandryka, Alexis, Gotlib, Tardi, Voss, Bilal, Clerc, etc.
O grupo de colaboradores se estendeu consideravelmente e recrutando tanto novos valores e promessas futuras quanto figuras de relevância e prestígio solidificados. A liberdade de imaginação exigida pelo cultivo da ficção paracientífica, passou também a outros campos, veja-se o erotismo ou horror. A própria inserção de Metal Hurlant na moda da vez, causou sua aderência para o universo forte do Rock e sua narrativa parasitária desenhada das marcas do movimento underground norte americano.
Enquanto as experiências vanguardistas continuavam, também recrutavam-se autores já clássicos e com um estilo clássico (Pratt, Hernández Palacios...). Não permaneceria insensível à ressurreição do polar, ou gênero negro. Em poucos anos, Metal Hurlant como revista e Les Humanoïdes Associés como editorial, já com Dionnet e Moebius decididamente em primeiro plano artístico, haviam constituído um acervo cultural multiforma com uma grande eclosão de colaboradores. Enquanto isso, o espírito da companhia havia cruzado o oceano.

AG00099_.gif (8616 bytes)Continua  


undercon.gif (286 bytes)Página em construção!
Esta página pode ser melhor visualizada na resolução 800x600.
Todos os nomes de editoras, revistas, personagens, selos e produtos aqui mencionados possuem marcas
registradas de suas respectivas companhias, aparecem aqui apenas como referência ou homenagem.
Perguntas ou problemas neste web site podem ser direcionados para
hq.cia@usa.net
Copyright 1999 - HQ & Cia.© Todos os direitos reservados.
Última atualização: Tuesday, 12 January 1999.